Ao deixar a empresa na qual trabalhava, um colaborador pode ou não deixar uma porta aberta atrás dele. A possibilidade de um dia retornar à antiga empresa será definida pela forma como a cisão aconteceu. Portanto, se você deseja manter a porta aberta, evite situações polêmicas, como demissão por justa causa.

Se o colaborador for demitido por justa causa, é claro que não haverá volta. Por outro lado, se foi uma demissão por outras razões, é possível haver um retorno, se for o desejo de ambas as partes.

Quem quer criar a possibilidade de um dia retornar a antiga empresa, deve em primeiro lugar cuidar para que sua saída seja vista como a perda de um excelente colega, profissional comprometido e responsável. Nos casos de pedido de demissão, é igualmente importante que o processo seja feito de forma a deixar boas recordações a gestores e colegas.

A cultura organizacional da empresa conta muito na decisão de recontratar um antigo colaborador. Há organizações que tem como política não trazer de volta profissionais que já trabalharam no local, outras chegam a preferir abrir as portas para velhos conhecidos na hora de preencher um cargo que exige mais confiança.

Antes de decidir retornar ou não para um antigo emprego, leve em consideração que muitas coisas podem ter mudado desde sua partida; valores, percepções, experiências, produtos, mercado, até mesmo a gestão e o próprio profissional. Portanto, pondere tudo.

Avalie o contexto em que deixou a empresa e aquele em que irá retornar. Se será bem recebido pelos novos ou antigos colegas no ambiente organizacional. Se os razões que o fizeram sair permanecem ou não. Esteja consciente de que, mesmo estando de volta, as coisas podem não ser mais como antes.

Veja Também