Do atletismo para os negócios: 4 dicas imbatíveis do empreendedor Pedro Chiamulera

Uma pessoa nasce com o DNA de empreendedor ou a vida a transforma em um?

Há quem pense que o feeling de empresário surge em uma situação de oportunidade ou até mesmo na necessidade de se reinventar. Outros acreditam que “todo mundo tem um pouco de empreendedor no sangue, basta ter a coragem para aprender e encarar os riscos”.

Esta é a opinião do Pedro Chiamulera, fundador da ClearSale, a maior empresa de anti fraudes em e-commerce do Brasil.

Antes de estar a frente de uma organização com mais de 700 funcionários, com operação internacional e clientes globais (como Sony, Dell e Chanel), ele consolidou uma outra carreira  que contribuiu com lições para o empreendedorismo .

Pedro é ex-atleta olímpico, disputou as Olimpíadas de Barcelona (1992) – 400 metros com  barreira e de Atlanta (1996) – 110 metros com barreiras. Além de cinco campeonatos mundiais a partir de 1987.

Parece difícil relacionar duas áreas tão distintas? Com falas de empoderamento, reconhecimento do trabalho de equipe e a busca pelo autoconhecimento, ele prova que não é. Nosso bate-papo já começa com uma frase de impacto: “O esporte é a melhor ferramenta para se experimentar o empreendedorismo antes de empreender”.

Veja aqui as principais inspirações que ele traz do atletismo para o mundo dos negócios:  

 

1- Integridade por inteiro

“Você tem que ter autoconhecimento para saber os seus talentos e o quanto pode arriscar”

“Quando você é atleta, não tem desculpa. Você tem que estar no seu melhor.” Por ser uma modalidade cujas principais peças utilizadas são a mente e o corpo, o equilíbrio entre os dois e a entrega total se tornam os principais objetivos. Mas como implementar isso na carreira de empresário ou liderando equipes?

Segundo Pedro, é importante sempre buscar a integridade e o autoconhecimento dos próprios talentos, riscos e medos. “Não tem desculpa no momento do tiro, assim como nos negócios, se a única coisa que você tem é a palavra e não a cumpre, não tem como empreender”.

 

2 – Prazer em cada etapa

“Se é inevitável, então vamos fazer com prazer”

Como no dia a dia de uma organização, nem todas as fases da preparação para uma prova de atletismo são fáceis e 100% agradáveis. Mas são nesses momentos que os dois ambientes exigem controle da mente e a caracterização do otimismo.

No esporte, a dedicação é árdua e constante, mas, segundo ele, é preciso desenvolver o sentimento de satisfação em qualquer uma das etapas. Isso gera um ciclo de superação e crescimento.

Já nos negócios, mais do que os resultados de vendas, ele aponta os feedbacks da liderança (retroalimentação) como os responsáveis por essa percepção de evolução interpessoal de um colaborador que também irá refletir no sucesso da empresa.

 

3 – Resiliência no objetivo

“O esporte tem essa beleza de mostrar que sempre é possível evoluir e aprender”

Ambas são carreiras que lidam com pressão constante, metas decisivas e resultados nem sempre esperados. Manter a energia para vencer os problemas fortalece a resiliência e, principalmente,  induz a empatia consigo mesmo.

“Quantos tombos a gente leva como empreendedor?”, ele compara com os seus 20 anos buscando o sonho de um atleta e como é importante trabalhar a mente para fazer dos desafios o próprio combustível para o sucesso.

Segundo ele, “na hora de empreender, você externaliza essas características. Tem que ser empático e gerar confiança com o outro, mas antes precisa ser com você mesmo”. Ou seja, não ceder à pensamentos depreciativos diante de metas não alcançadas.

 

4 – Tenha um time completo

“O esforço é individual, mas a vitória é coletiva”

Todo grande empresário tem uma equipe de profissionais capacitados ao redor. Todo grande atleta também.

Pedro é enfático ao dizer que só conseguiu realizar o seu melhor tempo nas Olímpiadas de Atlanta (1996) quando formou um time de profissionais (médico, nutricionista e técnico) que incorporaram as aspirações dele como de si próprios.

O mesmo aconteceu com a ClearSale. Ao trazer especialistas que acolheram os seus sonhos e valores, ele constituiu uma cadeia de ideias e contribuições em torno da empresa. Isso nada mais é do que estabelecer a cultura corporativa, certo? Ele conta que um líder precisa ter preceitos sólidos para reconhecer pessoas semelhantes e transformar todo contexto.

A magia do empreendedorismo é conseguir ir além da matemática de um fluxo de negócios. Compartilhe aqui as suas impressões sobre este tema e outros exemplos de carreiras distintas, mas que se complementam!

Veja Também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *