O tempo das linhas de montagem, esteiras automáticas e metas rígidas já passou. Quase todas as empresas já sabem que, para obter o máximo de produtividade e o mínimo de erro, é preciso oferecer alguma motivação no trabalho. Funcionários são muito mais eficientes em suas próprias tarefas quando o fazem por vontade própria. E a tecnologia também tem demonstrado um papel forte nesse quesito.

No nosso primeiro exemplo, a modernização era pouco mais que uma forma de restringir o fluxo de trabalho. Felizmente, essa não se provou a melhor aplicação da tecnologia, ainda mais na era digital. Hoje em dia, a motivação no trabalho é um fator tão relevante quanto um cronograma bem elaborado. Sem o emprenho da equipe, nenhuma agenda se cumpre no prazo certo.

Ainda está em dúvida sobre como tecnologia e motivação estão relacionados? Veja aqui 7 formas como esses itens dialogam no dia a dia de uma empresa:

1. Eliminação do trabalho operacional “irrelevante”

Não entenda errado. Mesmo algumas tarefas operacionais extremamente triviais, como cortar papel e servir água, podem ser vitais para o melhor funcionamento de um negócio. Um colaborador que cumpra esse papel não é menos importante ou “irrelevante”. A questão está em como certas tarefas afetam a motivação no trabalho.

Determinados cargos têm alto volume de tarefas operacionais repetitivas, como organização de documentos e planilhas. Mesmo que sejam importantes, elas não costumam ser engajadoras, sempre deixando um gosto de “irrelevância” na atuação desse funcionário ao longo do tempo.

Felizmente, boa parte dessas tarefas já pode ser automatizada. Sem a obrigação de simplesmente manter o funcionamento das engrenagens, cada colaborador pode se dedicar a algo que lhe pareça mais relevante.

2. Menor desgaste em tarefas operacionais

Além da questão emocional/psicológica da relevância de uma tarefa, a exaustão também é um fator de destaque para motivação no trabalho. Quando alguém precisa realizar uma tarefa muito desgastante por longos períodos de tempo, é provável que os efeitos sejam notados em seu desempenho muito mais depressa. Especialmente se ela for repetitiva e tediosa.

Mais uma vez, uma simples automação ou auxílio tecnológico para reduzir o peso da tarefa já é o suficiente para motivar uma equipe exausta. Como adicional, a máquina pode cumprir esse tipo de função com maior sucesso do que qualquer ser humano. No fim das contas, a empresa ganhará de todos os lados.

3. Maior sensação de produtividade

A principal consequência da tecnologia de automação sobre a motivação no trabalho é o quanto cada colaborador poderá se dedicar ao que realmente lhes interessa. Já é de conhecimento comum que uma atuação estratégica é mais produtiva para a empresa do que uma sessão de digitações repetidas. E isso também é importe para os funcionários.

Ter tempo para observar sua rotina com calma e tomar a iniciativa em alguma ação empresarial pode fazer uma enorme diferença na atuação da sua equipe. Como já mencionamos, trabalhos realizados proativamente são menos cansativos e mais rentáveis do que a média. E a própria tecnologia pode contribuir para uma atuação estratégica.

4. Acesso aos recursos necessários

Algo que prejudica muito a motivação no trabalho é a falta de ferramentas, orçamento, material, mão de obra. Enfim, a falta de recursos básicos de forma geral. Trabalhar sem o suporte necessário contribui bastante para o desgaste mental e emocional, o que logo leva a uma perda de eficiência e de motivação. Logo se forma um círculo vicioso de perda de resultados, perda de desempenho e assim por diante.

Em muitos setores, a tecnologia é um recurso fundamental para cumprir determinadas metas. Não é possível trabalhar campanhas de marketing digital sem um computador e conexão à internet, por exemplo. Mas a tecnologia auxiliar também pode afetar bastante a motivação no trabalho, como é o caso da automação que já mencionamos várias vezes.

5. Entendimento mais amplo sobre a organização da empresa

Algo que leva muitos profissionais a estarem de corpo, mas não de alma, em uma empresa é o não entendimento sobre o quadro geral. A falta de um objetivo comum, por exemplo, costuma levar à desorientação da equipe, o que mais tarde contribui para sua desmotivação. Mas como a tecnologia pode mudar esse quadro?

Simples: mostrando exatamente como tudo funciona em conjunto. Um gestor pode tentar explicar como cada profissional influencia o desempenho final do produto ou serviço, mas se você possui um sistema que registra e ilustra o funcionamento da empresa, ele pode muito bem falar por si mesmo.

6. Comunicação facilitada entre os setores

Parte da motivação no trabalho vem da facilidade de cumprir determinadas tarefas. Muitas das quais envolvem um trabalho interseccional nos diferentes setores e perfis profissionais presentes. Marketing, vendas, atendimento e produção precisam estar em sintonia para dar conta das demandas dos clientes. Sem essa troca, é pouco provável que grandes projetos saiam do papel.

O uso de canais de comunicação, intranet e até o fornecimento de um celular empresarial já contribuem para essa troca. Estimulá-la é uma questão de cultura organizacional, mas facilitá-la é muito mais uma questão de recursos.

7. Parâmetros claros de desempenho e sucesso

Por fim, outro fator forte para determinar a motivação no trabalho é a sensação de progresso e sucesso. A tecnologia atual permite que praticamente qualquer estatística seja anotada e acompanhada como indicador de desempenho. Tendo um objetivo claro e bem numerado em vista, é bem mais fácil dizer para a equipe “continuem, estamos quase lá!”.

Além disso, é comprovado que uma equipe ou profissional com várias pequenas metas tende a ser mais eficiente do que outra que tente alcançar a mesma meta final. Em outras palavras, criar uma lista de “degraus” com prazos menores é melhor do que olhar apenas para o objetivo final. E com ferramentas para melhorar o planejamento, isso não deve ser um problema.

Agora que você sabe como a tecnologia pode afetar a motivação no trabalho, é hora de preparar suas ferramentas para aumentar o desempenho da sua equipe. Quer continuar acompanhando nossas novidades? Então siga-nos no Facebook e no Twitter e receba tudo em primeira mão.

Veja Também